Tablets

novembro 28, 2012 publicado por Empreendedor Online

As melhores opções de tablets a venda no Brasil

As melhores opções de tablets a venda no Brasil

Para muita gente, iPad e tablet são praticamente sinônimos. Mas isso não significa, é claro, que o aparelho da Apple seja a única opção nas lojas. Além do já conhecido Galaxy Tab, da Samsung, agora disponível na nova versão 10.1, há vários outros modelos interessantes disputando o mercado. Podem ser boas opções para quem quiser fugir das restrições impostas pela Apple, como a impossibilidade de navegar em sites da web que usam a tecnologia Flash, da Adobe. Também podem atender a necessidades específicas, como acontece com o Eee Pad Transformer, da Asus, que pode ser convertido em netbook com teclado. Outro exemplo é o ZTE V9, que tem rádio FM e uma função que permite fazer ligações telefônicas em viva voz, duas coisas ausentes do tablet da Apple. Mostramos, aqui, sete tablets que são atraentes para o usuário individual, têm preço compatível com suas características e já são encontrados em lojas no Brasil.

iPad 2, da Apple

Não é difícil achar boas razões para escolher o iPad 2 ao comprar um tablet. Ele tem mais de 500 mil aplicativos disponíveis, incluindo muitos de excelente qualidade. Seu sistema operacional iOS, que brevemente irá para a quinta edição, já está maduro e funciona muito bem. E o design da Apple é prático e elegante. Em compensação, o iPad não exibe sites da web que usam a tecnologia Flash, da Adobe. Nele, não é possível expandir a memória por meio de um cartão. E alguns usuários podem se incomodar com o fato de terem de usar o aplicativo iTunes toda vez que quiserem transferir arquivos de música ou vídeo para o tablet. O modelo mais barato custa 1.649 reais na loja online da Apple. Tem 16 gigabytes de capacidade e só permite o acesso à internet via Wi-Fi. Já o mais caro, com conexão 3G e 64 gigabytes, sai por 2.599 reais. Há outras quatro opções intermediárias.

Galaxy Tab 10.1, da Samsung

O Galaxy Tab 10.1, da Samsung, é um dos concorrentes mais fortes para o iPad 2. Como o nome sugere, ele tem tela de 10,1 polegadas, pouco maior que a do iPad 2, que mede 9,7 polegadas. Mas o tablet da Samsung é, também, uma fração de milímetro mais fino e alguns gramas mais leve que o rival. Ele roda a versão 3 do sistema Android, conhecida como Honeycomb. Ele conta com os mais de 250 mil aplicativos disponíveis no Android Market e tem os recursos habituais dos tablets da geração mais recente, como GPS e duas câmeras (mas a traseira é de 3 megapixels apenas). Por enquanto, o aparelho é oferecido no Brasil pela operadora Vivo e seus revendedores por 1.999 mil reais. Essa versão tem 16 gigabytes de capacidade e conexão 3G. Com a contratação de um plano de dados da Vivo, o preço pode cair para até 1.399 reais.

Motorola Xoom

Concorrente direto do Galaxy Tab 10.1, o Xoom, da Motorola, tem características parecidas com as do aparelho da Samsung e preço mais camarada. A tela, por exemplo, tem o mesmo tamanho, 10,1 polegadas. E o sistema operacional também é o mesmo, o Android Honeycomb. O Xoom ganha na câmera traseira de 5 megapixels (a do Galaxy Tab 10.1 é de 3 megapixels) com flash de LED, mas perde das dimensões. O tablet da Motorola tem 1,26 centímetro de espessura, 4 milímetros a mais que o modelo da Samsung, e pesa 730 gramas, 165 a mais que o rival. O Xoom com 32 gigabytes de capacidade e acesso à internet apenas via Wi-Fi custa em torno de 1.500 reais. É um preço atraente para um aparelho com 32 gigabytes. A versão com conexão 3G, ainda não disponível, deverá custar cerca de 1.800 reais.

Iconia Tab A500, da Acer

O Iconia Tab A500 é mais uma opção no estilo do Motorola Xoom e do Galaxy Tab 10.1, da Samsung. Como esses concorrentes próximos, o A500 é baseado no sistema Android Honeycomb e tem tela de 10,1 polegadas. Entre os dois, o tablet da Acer é mais parecido com o Xoom. Tem 13 milímetros de espessura e pesa 730 gramas. Como os outros, tem duas câmeras, sendo a traseira de 5 megapixels. O tablet, que chegou oficialmente ao Brasil neste mês, já teve, segundo o fabricante, 800 mil unidades vendidas. A previsão é que chegue a 1,6 milhão até o fim do ano. O Iconia Tab A500 custa cerca de 1.500 reais com 16 gigabytes de capacidade e acesso à internet apenas via Wi-Fi. Por 200 reais a mais, compra-se a versão com 32 gigabytes de memória.

Eee Pad Transformer, da Asus

O Eee Pad Transformer TF101, da Asus, tem feito sucesso em alguns países por uma razão peculiar: a empresa vende, separadamente, uma base com teclado que permite transformá-lo em netbook. Esse acessório também possui portas USB que possibilitam a conexão de pen drives e outros dispositivos externos. A base traz, ainda, um conector para cartões de memória, útil na hora de transferir fotos da câmera fotográfica para o tablet. Essa solução é prática para quem precisa escrever textos e acha desconfortável digitar no teclado virtual. Mas a versatilidade tem seu preço. Enquanto o Galaxy Tab 10.1, por exemplo, pesa 565 gramas, o peso do Transformer é 680 gramas, sem o teclado. E os dois têm o mesmo tamanho de tela: 10,1 polegadas. O Transformer custa em torno de 1.500 reais numa versão com 16 gigabytes de capacidade e sem conexão 3G. A base com o teclado ainda não é encontrada oficialmente no Brasil. A Asus diz que ela será vendida por cerca de 400 reais.

Blackberry PlayBook, da RIM

O BlackBerry PlayBook roda o sistema operacional QNX, que a Research in Motion pretende usar também em smartphones. É uma opção interessante para quem está habituado aos smartphones BlackBerry e prefere ter um tablet também dessa linha. O PlayBook tem tela de 7 polegadas, quase 3 polegadas menor que a do iPad. Isso traz maior portabilidade, é claro, mas também torna a navegação na web e a visualização de documentos menos confortável. O PlayBook tem feito sucesso nos Estados Unidos e em outros países, onde é apreciado principalmente para uso profissional. Mas é bom notar que ele conta com muito menos aplicativos do que os tablets com Android e o iPad. A loja online BlackBerry App World oferece 42 mil títulos, mas só alguns poucos milhares foram feitos para o tablet. A RIM diz que pretende melhorar isso tornando o QNX compatível com os aplicativos do Android. Embora o PlayBook já esteja oficialmente à venda em países como México, Venezuela e Colômbia, no Brasil ele só chegou, até agora, via importação direta de algumas lojas. Com capacidade de 16 gigabytes e conexões Wi-Fi e 3G, custa cerca de 1.700 reais.

ZTE V9

O V9, da ZTE, foi um dos primeiros tablets a chegar ao Brasil com preço oficial abaixo dos 1.000 reais. Mas esse preço, na verdade, só vale para quem contratar um plano de dados da operadora TIM (que custa 50 reais por mês). Avulso, o tablet sai por 1.500 reais. O V9 tem tela de 7 polegadas, mesmo tamanho do BlackBerry PlayBook. Tem conexões 3G e Wi-Fi para acesso à internet e roda o Android 2.1. Embora essa versão do Android seja adequada a esse tamanho de tela, ela já está um pouco ultrapassada. O espaço para armazenamento de arquivos é de apenas 4 gigabytes (contra 16 gigabytes do iPad mais simples), mas pode ser expandido por meio de um cartão, algo impossível no iPad. O V9 ainda tem rádio FM e uma função que permite fazer ligações telefônicas em viva voz, duas coisas ausentes do tablet da Apple.

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0.0/10 (0 votes cast)

Related posts:

2 Comments

  • Há que se considerar também o YPY da Positivo. Tela capacitiva impecável, um monte de aplicações pré-instaladas, totalmente em português, também tem 7 polegadas e saiu em 2 versões: WiFi com e sem 3G. Nesta versão de 7 ele já vem com 10 Gigabytes e há possibilidade de expansão.
    Preço abaixo de R$900,00 e não tem que contratar plano com operadora nenhuma. A versão do Android acho que é a 2.3.4.
    E tá vendendo na televisão, na internet e nas lojas grandes em um monte de parcelas. Eu gostei. Acho que vale a pena conferir.

  • Muito, vai ajudar muita gente na hora de decidir qual comprar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>